E! Online US - Top Stories

27 de nov de 2011

Um cara comum chamado Tom (Larry) Hanks!

Sim, eu reverencio o ator Tom Hanks. Gosto de falar sobre ele e seus filmes aqui no meu blog também. Essa semana o filme Larry CrowneO amor está de volta chegou às locadoras e o lançamento em DVD é só mais uma oportunidade para falar desse ator que conseguiu, durante toda a sua carreira, angariar um número impressionante de fãs com um jeito bastante peculiar – sendo um cara bacana, comum, e dando um duro danado para chegar aonde chegou.
O termo Good Guy, cara legal, sempre caiu como uma luva para Tom Hanks. E em Larry Crowne, filme que ele protagoniza e dirige, ele prova mais uma vez porque, afinal, é visto dessa forma pela imprensa mundial e pelo público idem.
A certa altura da vida Larry é demitido. Isso é uma surpresa não só para ele, mas para os colegas. Os Estados Unidos passam por uma crise econômica que parece não ter fim. Então, Larry senti na pele o desgosto de ter que começar tudo de novo.
Eis uma premissa batida e óbvia para qualquer filme. Mas o que Larry Crowne pretende mostrar é que pode haver bom humor e esperança numa situação normalmente desalentadora. Tom Hanks faz de Larry um homem capaz de levantar a cabeça e seguir em frente, apesar da crise.
Entre outras providências, resolve acatar o conselho de um ex-colega de trabalho e volta a estudar. O que acontece, de fato, é que sua demissão foi motivada justamente por causa da sua falta de graduação.
Pasmo, mas decidido, Larry volta a encarar a rotina de estudos com a costumeira boa vontade e esperança que sempre lhe foram o cartão de visita. Não, não estou falando de um rapaz simplório e limítrofe. Tom Hanks não repete em Larry Crowne o tocante papel vivido em Forrest Gump.
Larry anseia sair da crise como qualquer pessoa. E para isso cria atalhos (honestos!) e resolve comprar uma motocicleta de baixa cilindrada por que descobre que isso pode ser bastante econômico para alguém desempregado.
Durante os estudos, conhece um grupo de motociclistas legais e começa a experimentar os meandros da paixão, fruto de sua convivência com a professora de Retórica Mercedes (Julia Roberts).
Em Larry Crowne as palavras-chave são: Começar e Entusiasmo. Fica patente que o ator decidiu rodar esse filme para levar aos norte-americanos a mensagem de que vale a pena lutar com entusiasmo, custe o que custar.
Não ficou preocupado com cifras nem críticas. Tom Hanks tem uma carreira sólida e só quer, na verdade, que as pessoas, americanas ou não, vivam em paz com suas conquistas, mesmo que seja numa simples motocicleta.
Tom Hanks no intervalo de Larry Crowne

20 de nov de 2011

Oscar 2012

                          Happy Feet 2  concorre ao Oscar de Melhor Filme de Animação

15 de nov de 2011


Christopher Plummer no filme A Ultima Estação
que narra os últimos anos do escritor Leon Tolstoi
autor do famoso Guerra e Paz e Anna Karenina
Belo o filme com direito a momentos de puro encanto por que trata dos últimos anos de vida desse escritor russo. A Última Estação fala de amor e idealismo. 

11 de nov de 2011

Oscar 2012


Adivinhe quem é Oscar?
 Billy Crystal está de volta ao tapete vermelho. Há pouco tempo, enquanto eu fazia postagens sobre o Oscar 2012, cheguei a sugerir ( de brincadeira!) o nome do ator para ser o mestre de cerimônias. Acho que acertei sem saber.  Ele já apresentou oito vezes a entrega do prêmio Oscar.

11 11 11

Sequência de números idênticos numa data que nunca mais irá se repetir: 11 do 11 de 2011. Sem dúvida é uma data muito interessante. Para o número 11 que carrega um estigma tremendo após o 11 de setembro, esse filme chega para colaborar ainda mais com assuntos de esfera espiritual ou digamos... maléfica.


Tudo isso por que, segundo o filme, às 11 horas e 11 minutos do dia 11 de novembro, uma entidade de outro mundo entrará na Terra.  

7 de nov de 2011

Amanhecer


                                             É só para matar um pouco a vontade!

Amanhecer

A saga do vampiro ainda está dando o que falar! Gostei dessas imagens.

Site do filme Amanhecerwww.breakingdawn-themovie.com/

Licença para criar

Hoje eu soube através de um site de busca que o cartaz do filme Larry Crowne - O amor Está de Volta com Tom Hanks e Julia Roberts, foi considerado um erro por estar sugerindo direção perigosa. Quem informou foi o site Hollywood Reporter. Os atores não estão usando capacetes.
A distribuidora do filme Tripictures pensou se tratar de uma piada ao receber uma multa de 41,5 mil.
Achei o episódio uma bobagem tremenda. A obrigatoriedade do uso do capacete deve se restringir apenas a vida real. Essa sim, seria muito mais desastrosa sem o tal acessório. Particularmente, eu odeio ter que ficar carregando o meu para baixo e para cima.
Mas na ficção é outra história! O filme apenas pretende mostrar a alegria de um casal que, depois de muitos desencontros e frustrações, quer só uma coisa da vida - curtí-la a todo vapor. Nem que para isso o casal tenha que sair por aí andando de moto com os cabelos ao vento. Quisera eu poder curtir uma tarde de sol com toda a liberdade do mundo. E por falar em liberdade... aonde anda mesmo a liberdade de criação? Que esses belos atores façam por nós o que não podemos fazer.


Eu amo, Tu amas, Eles multam!


6 de nov de 2011

Elijah Wood está de volta

Depois de um hiato, Elijah Wood, o bondoso Frodo  de O Senhor dos Anéis, deve aparecer na refilmagem
de O Maniaco, de 1980. A trama gira em torno de um serial Killer que, depois de assassinar moças indefesas guarda os escalpos para servir de enfeite aos inúmeros manequins que mantém guardados. Um certo dia, porém, o criminoso é fotografado por uma mulher em pleno Central Park.   Nesse remake Elijah será Frank. O ator fará uma pequena participação no filme O Hobbit.




2 de nov de 2011

A Grande Virada - Um Grande Filme

Feriados são bons por alguns motivos. O principal deles eu diria que é poder assistir a um filme - a um bom filme, de preferência. A Grande Virada dirigido por John Wells entrou para a minha lista de filmes favoritos. O tema é atual, atualíssimo! Trata da crise econômica que parece não ter mais fim. Aliás, acredito que não exista mesmo um fim, apenas aprendemos a conviver com problemas diferentes a cada ciclo.
Estrelado por Ben Affleck que no filme interpreta um executivo bem sucedido, Bobby Walker, a trama gira em torno do desemprego e sobre as coisas que se faz e não se faz quando se está desempregado. Bobby Walker era a mais perfeita personificação do homem que havia vencido na vida - uma bela casa, uma bela mulher, filhos inteligentes e um Porsche na garagem. Até que numa bela manhã o fantasma do desemprego aparece...
Juntamente com ele outros executivos também são demitidos. Phil Woodward ( Chris Cooper) e Tommy Lee Jones ( Gene McLary). O que se vê a partir daí é de cortar o coração. Bobby Walker, o mais jovem, ainda tem fôlego para correr atrás de outras oportunidades, mais despreza a maioria e acaba indo trabalhar para o cunhado Jack ( Kevin Costner), um homem que simplesmente diz o que pensa para pessoas da estirpe de Bobby Walker. Quanto aos outros dois a situação é mais sofrível e constrangedora. Phil e Gene já passaram dos cinquenta anos de idade e, por isso, sentem mais o peso (às vezes mortal!) do desemprego.
Entretanto o espírito empreendedor consegue ser mais forte e vigoroso do que qualquer humilhação. Vale a pena!


Ben Affleck e Tommy Lee Jones numa das melhores cenas do filme


E Chris Cooper à espera da entrevista


Kevin Costner aconselha Ben